menu

margarida.net

3 dias no Gerês e curta visita a Braga

Calendário de artigos

< Dezembro 2015 >
S T Q Q S S D
voltar ao mês actual
A carregar
  01 02 03 04 05 06
07 08 09 10 11 12 13
14 15 16 17 18 19 20
21 22 23 24 25 26 27
28 29 30 31      

A segunda semana de férias, em setembro, após o Cruzeiro no mediterrâneo, foi uma prenda de aniversário do A - quatro noites no Hotel São Bento da Porta Aberta, mesmo em frente ao Santuário com o mesmo nome.

Hotel de São Bento da Porta Aberta
Hotel São Bento da Porta Aberta
São Bento da Porta Aberta, vista do hotel homónimo
Santuário São Bento da Porta Aberta, vista do hotel homónimo

Já chegámos ao final da tarde, com cerca de 4 horas de viagem. Fizemos o checkin e jantámos num restaurante perto, a Adega Regional O Forno. Talvez por ser dia de semana, o empregado que nos atendeu não pareceu muito simpático ou era muito calado ou timido, talvez estivesse a substituir alguém... mas comi umas lulas bem deliciosas!

Lulas - Restaurante Adega Regional O Forno
Lulas grelhadas no restaurante Adega Regional o Forno.

Dia 1

De manhã, o sol bate na varanda do quarto do hotel onde ficámos e tem vista para o Santuário de São Bento da Porta Aberta e para as montanhas.

São Bento da Porta Aberta - amanhecer
Nascer do sol em São Bento da Porta Aberta
Hotel São Bento da Porta Aberta - varanda
Varanda do Hotel São Bento da Porta Aberta
Hotel São Bento da Porta Aberta - varanda
Vista da varanda do Hotel São Bento da Porta Aberta

Tomámos um pequeno-almoço reforçado no Hotel São Bento da Porta Aberta antes de seguirmos caminho para o Trilho da Preguiça.

Pequeno-almoço no Hotel São Bento da Porta Aberta
Pequeno-almoço no Hotel São Bento da Porta Aberta

Mesmo na entrada do hotel podemos ver um mapa com relevo da serra do Gerês.

Mapa do Gerês
Mapa do Gerês à entrada

O hotel é limpo, o quarto estava com tudo ok e o ar climatizado e, à excepção de uma melga numa das noites, dormi tranquilamente e houve sempre silêncio. O hotel tem uma mesa de snooker grátis que, se estiver disponível, dá para passar um bom tempo mas nós só conseguimos utilizá-la uma vez. O pequeno-almoço é bem servido, dos melhores, das últimas experiências relatadas pelo blog, pelo menos sobre as de Portugal.

Trilho da Preguiça

O Trilho da Preguiça começa e acaba junto à Casa da Preguiça e varia de 623 a 852 metros. Apesar do nome, que pode parecer um percurso demasiado fácil, tem umas subidas inclinadas no início e é um tanto ou quanto cansativo mas depois disso, já não é tão acentuado apesar de ser um percurso de 4,5 quilómetros com altos e baixos. É bastante bonito e tranquilo e faz bem à saúde e à alma!

Informação do Trilho da Preguiça
Informação do Trilho da Preguiça

Miradouro

Existe um primeiro miradouro logo no início do trilho, à direita, que tem uma vista muito bonita para o vale da falha do rio Gerês.

Trilho da Preguiça -  Vale da falha do Rio Gerês Trilho da Preguiça  - Vale da falha do Rio Gerês Trilho da Preguiça - Vale da falha do Rio Gerês
Vale da falha do rio Gerês

Voltámos para trás e seguimos as indicações do trilho.

Trilho da preguiça Trilho da preguiça Trilho da preguiça Trilho da preguiça Cogumelo no Trilho da preguiça Trilho da preguiça
Trilho da Preguiça

Ribeiro da Laja

A próxima indicação que vemos é a do Ribeiro da Laja.

Ribeiro da Laja - Trilho da preguiça Ribeiro da Laja - Trilho da preguiça Trilho da preguiça Trilho da preguiça

Continuamos a subir pelo trilho.

Trilho da preguiça Planta - Trilho da preguiça Flores - Trilho da preguiça Trilho da preguiça
Trilho da Preguiça

E chegamos a um ponto mais alto com uma vista do topo das montanhas:

Trilho da preguiça Trilho da preguiça
Miradouro

Voltando a descer e continuando com o percurso, vemos indicações para o Curral da Mijaceira e para a Cascata da Laja.

Trilho da preguiça Trilho da preguiça Curral da Mijaceira - Trilho da preguiça Trilho da preguiça Flor no Trilho da preguiça Trilho da preguiça
Cascata da Laja - Trilho da preguiça

Atenção que a Cascata da Laja fica para a esquerda e existe um trilho que tem caminho para dois sentidos opostos, um deles irá dar à Cascata do Leonte que é só de ida e volta-se pelo mesmo caminho (verificar sempre as indicações de sinalização para saber se se está num caminho certo).

Ribeiro da Cantina

O ribeiro da Cantina tinha alguma água e saltitámos pelas pedras para atravessar o caminho.

Trilho da preguiça Trilho da preguiça Trilho da preguiça
Ribeiro da Cantina

Curral da Mijaceira

Curral da Mijaceira - Trilho da preguiça

Rio Gerês

Passamos pelo Rio Gerês até à Cascata do Leonte e antes de lá chegar comemos um lanchinho para recuperar energias.

Rio Gerês - Trilho da preguiça Rio Gerês - Trilho da preguiça Rio Gerês - Trilho da preguiça Ponte por cima do Rio Gerês - Trilho da Preguiça
Rio Gerês

Cascata do Leonte

Subimos mais um bocado até à Cascata do Leonte e foi a primeira de muitas cascatas que vimos nesta viagem! Muito bonita

Cascata do Leonte - Trilho da preguiça Cascata do Leonte - Trilho da preguiça Cascata do Leonte - Trilho da preguiça Cascata do Leonte - Trilho da preguiça Cascata do Leonte - Trilho da Preguiça Trilho da preguiça
Cascata do Leonte

Calçada portuguesa

Existe um percurso denominado Calçada portuguesa pois parece que estamos mesmo numa estrada acalcetada pelas ruas de Lisboa.

Calçada Portuguesa - Trilho da preguiça Calçada Portuguesa - Trilho da Preguiça
Calçada portuguesa

Cascata da Laja

Seguindo as setas para a Cascata da Laja, chegamos a uma ponte sob a ribeira da Laja e com vista para a cascata com o mesmo nome.

Cascata da Laja - Trilho da Preguiça Ponte junto à Cascata da Laja - Trilho da Preguiça Cascata da Laja - Trilho da Preguiça Cascata da Laja - Trilho da Preguiça Cascata da Laja - Trilho da Preguiça
Cascata da Laja

Continuamos pelo trilho a ver coisas bonitas e verdes.

Trilho da Preguiça Trilho da Preguiça Trilho da Preguiça Trilho da Preguiça Trilho da Preguiça
Trilho da Preguiça

Parámos novamente junto a uma zona muito bonita com uma rocha gigante no meio de um riacho e petiscámos mais um pouco, enquanto apanhavamos solinho por entre as árvores.

Trilho da Preguiça Trilho da Preguiça Trilho da Preguiça Trilho da Preguiça

Já quase no fim do trilho haviam muitas castanhas pela zona.

Castanha Castanha Castanhas
Castanhas

Fim do trilho da Preguiça

E cerca de 4 horas depois damos por terminado o fim do trilho da Preguiça.

Trilho da Preguiça - Fim de percurso Estrada do início e fim do Trilho da Preguiça Zona do Início e Fim do Trilho da Preguiça
Fim do trilho da Preguiça

Mata de Albergaria

Voltamos ao carro e partimos em direção à Portela do Homem onde tivemos de pagar uma taxa de acesso de 1,5€ para atravessar a Mata de Albergaria mas que serve para o dia todo.

Taxa de acesso à Mata de Albergaria

Galiza

Esta mata vai dar à Galiza mas nós apenas demos a voltinha de carro na fronteira abandonada.

Galiza Fronteira portuguesa Terras de Bouro Parque nacional Peneda - Gerês Campo do Gerês

Cascata da Portela do Homem

Portela do Homem

Não é possível estacionar junto à Cascata da Portela do Homem por estar dentro da Mata de Albergaria mas existe uma zona de estacionamento junto à Fonte da Portela e faz-se um pequeno caminho a pé de volta pela estrada, onde vimos vaquinhas a pastar.

Fonte da Portela
Fonte da Portela
Vacas no Gerês Cascata da Portela do Homem Cascata da Portela do Homem Rio Homem Cascata da Portela do Homem Rio Homem
Portela do Homem

A Cascata da Portela do Homem faz parte do Rio Homem e tem uma aguinha limpida que apetece ir lá para dentro mas pareceu perigoso descer, até porque a zona onde talvez se descesse estava um grupo de pessoas a filmar um videoclip ou algo do género.

Cascata da Portela do Homem Cascata da Portela do Homem Cascata da Portela do Homem Cascata da Portela do Homem Cascata da Portela do Homem Cascata da Portela do Homem

De volta de carro, foi engraçado ver o percurso pedestre que fizemos no Trilho da Preguiça visto mais acima da estrada, nomeadamente, a Cascata do Leonte.

Cascata do Leonte - vista da estrada Cascata do Leonte
Cascata do Leonte, vista da estrada

Antes do jantar, voltámos ao Hotel de São Bento da Porta Aberta descancar e fiz uma merecida sesta. O quarto tinha uma vista muito bonita para o santuário cujas transições da luz ao longo do dia me agradavam muito.

São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta - entardecer São Bento da Porta Aberta - panorâmica
São Bento da Porta Aberta

Restaurante Lurdes Capela

O melhor restaurante da zona, com filas à porta, é aconselhável chegar cedo ou ter sorte mas vale a pena. Voltámos lá no dia seguinte e aí é que provámos uma delicia mas desta vez pedi um bacalhau à brás que estava bom e o A pediu secretos de porco preto que aparentemente foi do melhor que já comeu. O atendimento é simpático e correu tudo bem.

Restaurante Lurdes Capela Restaurante Lurdes Capela Restaurante Lurdes Capela - Pudim do Abade
Restaurante Lurdes Capela

Dia 2

Após pequeno-almoço e pequena paragem numa mercearia perto das pontes do Gerês para comprarmos mais uns lanchinhos para o caminho, seguimos de carro novamente a caminho das cascatas mas desta vez com destino ao Miradouro da Pedra Bela.

Passámos, de carro, pela Fonte da Forja e a Fonte do Azeral e continuámos a subir a serra durante algum tempo.

Fonte da Forja Fonte do Azeral Ribeiro Freixa Ferreiros

Chegando ao topo, perto do miradouro e na zona onde se pode estacionar o carro, encontra-se um poema de Miguel Torga, denominado Pátria.

Miradouro da Pedra Bela - Pátria, Miguel Torga
Pátria de Miguel Torga

Temos depois o Miradouro da Pedra Bela e mais à frente o Miradouro Velho em cima de uma pedra maior com uma proteção tipo varanda/corrimão para não cairmos, que me causou alguma vertigem. Estamos num ponto extremamente alto, a 834m de altura. É uma vista fantástica!

Miradouro da Pedra Bela Miradouro da Pedra Bela Miradouro da Pedra Bela Miradouro da Pedra Bela Vista do Miradouro da Pedra Bela Miradouro da Pedra Bela Miradouro da Pedra Bela Miradouro da Pedra Bela Miradouro da Pedra Bela - Panorâmica
Miradouro da Pedra Bela

Cascata do Arado

Seguimos de automóvel para a Cascata do Arado.

Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado - Panorâmica da zona
Cascata do Arado

Rio Arado

Descemos para o Rio Arado e fomos por baixo da ponte novamente até perto da Cascata, até onde conseguimos sem nos aventurarmos demais. Em praticamente todas as cascatas viamos muita malta, que parecia estrangeira, a subir encostas que achavamos um tanto ou quanto perigoso...

Rio Arado Cascata do Arado Rio Arado Cascata do Arado Cascata do Arado Cascata do Arado - panorâmica
Rio Arado

Cascata do Tahiti

Fizemos uma rápida visita à Cascata do Tahiti também chamada por Cascata das Varzeas mas não descemos porque não levavamos os fatos de banho e esta cascata parecia bastante boa para tentar a água, para além de que o percurso que estavamos a seguir, uma escadaria feita de madeira durante toda a descida, se pagava 1 € por pessoa. Deixámos para o dia seguinte.

Cascata de Varzeas (Tahiti) Cascata de Varzeas (Tahiti) Cascata de Varzeas (Tahiti) Caminho na Cascata de Varzeas (Tahiti) Cascata de Varzeas (Tahiti)
Cascata do Tahiti

Praia de Alqueirão

Passando pelo hotel preparámo-nos para uma ida à Praia de Alqueirão ao final da tarde. A areia era bem rija e a água estava bem fresquinha mas a vista era bem bonita. Estando habituada a praias com vista para o horizonte, ter uma vista para montes verdejantes, é muito belo.

Praia de Alqueirão Praia de Alqueirão Praia de Alqueirão - panorâmica
Praia de Alqueirão
Praia de Alqueirão - vista para São Bento da Porta Aberta
Vista da praia para São Bento da Porta Aberta

Restaurante Lurdes Capela

Preparámo-nos para ir novamente jantar ao Restaurante Lurdes Capela, fomos cedo e desta vez não tivemos de esperar no frio. Pedimos bacalhau com broa e foi o melhor bacalhau que já comi, estava divinal! Lascas de bacalha suaves e deliciosas, ficámos muito espantados!

Cerveja 3 Monts, Restaurante Lurdes Capela Dom Keijo, Restaurante Lurdes Capela Bacalhau com broa - Restaurante Lurdes Capela Doce - Restaurante Lurdes Capela
Restaurante Lurdes Capela
São Bento da Porta Aberta
São Bento da Porta Aberta de noite

Dia 3

Partimos de carro para conhecer a aldeia de Vilarinho das Furnas e a respetiva barragem.

Barragem de Vilarinho das Furnas Barragem de Vilarinho das Furnas
Barragem de Vilarinho das Furnas

Aldeia de Vilarinho das Furnas

Para conhecermos a Aldeia submersa de Vilarinho das Furnas tivemos de pagar 3 € (preço por estarmos de carro).

Bilhete de carro para Vilarinho da Furna Preços Vilarinho das Furnas

Passamos por uma cascata com queda de água bem potente e atravessamos com o carro por cima da ponte da cascata.

Cascata e ponte a caminho de Vilarinho das Furnas Cascata e ponte a caminho de Vilarinho das Furnas Cascata a caminho de Vilarinho das Furnas
Cascata em Vilarinho das Furnas

Seguimos caminho até mais à frente, a uma zona de piqueniques e vemos uma água super parada que reflete o céu, mais uma vista linda!
No entanto, não conseguimos ver a aldeia submersa pois a barragem ainda se encontrava cheia.

Vilarinho das Furnas - Panorâmica Vilarinho das Furnas - panorâmica
Vilarinho das Furnas

Cascata do Tahiti

De volta à Cascata do Tahiti, desta vez preparados para uma estadia mais longa e proveitosa!

Cascata do Tahiti Praia da Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti
Cascata do Tahiti

A descida faz-se, como mencionei anteriormente, por uma escada de madeira cujo preço é de 1 € a passagem por pessoa. No entanto, após já nos encontrarmos lá em baixo, reparámos algumas pessoas a entrarem através de um outro lado que parece ser mais longo, só não sei se será de mais fácil acesso, porque, apesar de descermos por umas escadas de madeira todas arranjadinhas, quando nos encontramos lá em baixo, vimo-nos aflitos para atravessar todas as pedras até à zona da praia. Depois de alguns passos em tentativa-erro, conseguimos atravessar mas a última pedra não era nada firme e quando estavamos de volta, o A, que tinha uma mochila com cenas nossas mais pesada, espalhou-se nessa. O resto do caminho foi sem precalços mas há que fazer um estudo antes de seguirmos determinado caminho que pode não ir dar a lado nenhum ou ser perigoso e cairmos.

Guida até à Cascata do Tahiti Caminho até à Cascata do Tahiti
Escadas de madeira na Cascata do Tahiti

Depois de lá estarmos é uma maravilha, pelo menos quase no final de setembro estava calminho mas tinha ainda várias pessoas em pequenos grupos. A água estava fria mas não nadei pois as pedras na água são escorregadias e há um pouquinho de corrente mas qualquer coisa vai-se contra as pedras maiores. Não sei nadar muito bem, por isso não me atrevi mas outros homens e mulheres experimentaram e andaram por lá, uns até mesmo por baixo da queda de água.

Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti - panorâmica
Cascada do Tahiti

Vimos uns sapos e girinos numa poça de água não muito longe da cascata, o que foi muito interessante.

Sapo na Cascata do Tahiti Girinos na Cascata do Tahiti Sapo na Cascata do Tahiti
Sapos e girinos na Cascata do Tahiti

Fomos até ao lado direito investigar o que havia mas nem pessoas lá se encontravam mas é perto do outro acesso.

Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti - Panorâmica
Cascata do Tahiti

O acesso à Cascata do Tahiti pareceu mais perigoso do que previamos, é preciso muito cuidado pois parece ser um lugar muito propício a acidentes. No entanto, desta vez correu tudo bem e é um lugar de uma beleza natural que compensou ir e descobrir.

Cascata do Tahiti Cascata do Tahiti
Cascata do Tahiti

São Bento da Porta Aberta

Com a visita ao Gerês quase no fim, visitámos o Santuário de São Bento da Porta Aberta e que bonito que é, é maior do que pensei, até porque tem a nova e maior construção ao lado.

São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta - Gerês - Panorâmica

Na cripta temos uma maquete e vários paineis de azulejo que contam a história de São Bento.

São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta - Gerês São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta São Bento da Porta Aberta
São Bento da Porta Aberta

Dia 4

Após o checkout, fizemos uma visita curta a Braga antes de seguirmos efetivamente viagem para casa.

Vimos um fenómeno interessante de nevoeiro à saída do Gerês.

Gerês Gerês - nevoeiro
Nevoeiro

Braga

Em Braga, visitámos o Santuário do Bom Jesus do Monte (mas não subimos a escadaria) e o Santuário do Sameiro.

Santuário do Bom Jesus do Monte

Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga Santuário do Bom Jesus do Monte, Braga
Santuário do Bom Jesus do Monte

Santuário do Sameiro

Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga Santuário do Sameiro, Braga
Santuário do Sameiro

A viagem foi muito bonita, não estava informada de tantas cascatas do Gerês e foi muito bom apreciá-las na tranquilidade de setembro.

Comentários